Word of the Day

Thursday, December 31, 2015

Háže

Takže kvůli svým geopolitických (sic) cílům Amerika háže blízkovýchodní křesťany z okna?

So, because of its geopolitical aims America throws Middle East Christians out the window?

The funny thing is the word háže, which is dialectal. Standard Czech requires hází. Háže has no place, in my opinion, in a serious publication like the weekly magazine Echo.

Tuesday, December 29, 2015

Advocacy in Romanian

I saw a Romanian program where they used the word advocacy all the time. What's up with that? What is wrong with promovare, pledoarie, avocatură, sprijinere or propaganda? And they pronounced it adVOkasi.

It seems to be used a lot in Romanian: https://www.google.ro/?gws_rd=ssl#q=advocacy




Saturday, December 26, 2015

Dar spoiler

Num dado momento do filme (não vou dar spoiler), o xerife, um tal de Mallick, diz para o Jon (Mikkelsen):

Novidade para mim. Não sabia que tinha chegado ao português. Não seria melhor não vou contar o fim/a história, como sempre se disse?

Thursday, December 24, 2015

Adaptações "folheanas"

Parece que a Folha adapta um pouco os textos de um jornalista português para o português do Brasil. Vejo neste artigo, por exemplo, que aparece câmera em vez de câmara. Indo na contramão, parece que se esqueceram de adaptar subtil para sutil, talvez por subtil ter entrada em dicionários brasileiros (mas não gozar de muito uso no Brasil, demostrado por umas cinco ocorrências brasileiras entre 275, no total, do Córpus do Português) e de usar um sinônimo para possidente, palavra que não encontrei em nenhum dicionário brasileiro, só neste e neste, ambos portugueses. Esta é outra fonte portuguesa onde se usa o termo possidente. Brasileira até agora não achei.

Notei que a Amazon faz a mesma coisa com autores não americanos que escrevem em inglês. Adaptam-lhes a ortografia e um termo ou outro para o inglês americano. Será que não querem permitir que o leitor pense um pouco?

Eles adaptam mesmo. Neste texto, em vez de aparecer melómeno e registar, como se escreve em Portugal, aparecem os brasileiros melômano e registrar.

Sunday, December 20, 2015

Coalização

Com a coalização que o elegeu (Cambiemos) em minoria na Câmara e no Senado argentino, o novo presidente precisa do apoio de congressistas ligados ao kirchnerismo para aprovar medidas que permitam reorganizar as finanças do país.

Acabei de descobrir coalização e imaginei que se tratava de erro. Até então só conhecia coligação e coalizão. Vejo que o Houaiss 2009 registra a palavra e explica que é o mesmo que coalizão.

Friday, December 18, 2015

Líder de healthcare

Outro participante do debate, Marcos Boscolo, líder de healthcare da consultoria KPMG no Brasil, fez menção à crise econômica em sua fala.

Duvido que a maioria dos brasileiros saiba o que é o?/a? tal healthcare? Nem tem obrigação nenhuma de saber. A língua do país, que eu saiba, ainda é o (mau) português.

Wednesday, December 16, 2015

Oba-oba da ênclise

Leão Tolstói abre seu "Anna Kariênina" afirmando que todas as famílias felizes parecem-se entre si; já as infelizes o são cada uma à sua maneira.

Os brasileiros devem achar, por a ênclise não ser muito usada na fala espontânea no Brasil, que basta usá-la para o texto ficar mais formal. Não é bem assim, há regras para isso, não é usar a torto e a direito. Na frase acima o correto seria afirmando que todas as famílias felizes se parecem entre si, já que que, aí conjunção integrante, é fator de próclise.

Pelo menos o trecho mostra como essa questão de colocação pronominal há décadas (séculos?) não faz parte da gramática interna que todo falante nativo traz consigo. Pois bem, mas então não é melhor seguir o próprio instinto e usar a próclise, que seria a escolha espontânea do brasileiro e o correto no fragmento acima? Por que querer complicar tanto quando se escreve? Insegurança? Hipercorreção?

Esta discussão lembra-me (ênclise bem usada) a fatídica frase encontrada em vários elevadores no Brasil: "Antes de entrar no elevador, verifique se o mesmo encontra-se parado no andar". Outros já implicaram com ela antes de mim: https://www.google.com/search?q=verifique+se+o+mesmo+encontra-se&ie=utf-8&oe=utf-8

Outro exemplo recolhido dias depois: A resposta é tanto mais difícil e desalentadora, pois o Brasil é hoje país em que impera a "micropolítica" do conchavo e da autopreservação –e onde acumula-se imenso déficit da "macropolítica" dos grandes interesses nacionais.

Mais outro: apenas publica-se o tempo todo imagens e mensagens   

Mais outro: Mal fecham-se as portas e já estou atônito.

Talvez o pior de todos: A “irjaa” não tornou-se um conceito corrente no islã, e foi derrotada pela ideia de que a fé tem de ser obrigatoriamente declarada.  

E dois exemplos no mesmo parágrafo: Também a Europa encontra-se longe de um cenário harmonioso. Se a crise econômica parou de piorar, os desafios vêm de uma eventual saída do Reino Unido da dinâmica de integração continental (o que a imprensa em língua inglesa chama de "Brexit"), do atordoante fluxo migratório e do tipo de liderança que a Alemanha está disposta a exercer na União (dilema que os próprios alemães esquivam-se de responder).

Encontrei mais este: Mas por que os coxinhas agora tornaram-se tão notórios? e mais este: porque a estrutura de classes sociais tornou-se mais complexa e diferenciada. Achei este artigo motivado pela intenção de entender o que é coxinha, não a comida, que já conheço faz tempo.  

Mais um: Ainda segundo o advogado, a defesa argumentará que a prisão deu-se por "meio enganoso de prova".

Um de 6 de fevereiro de 2016: Talvez até por motivos diversos dos elencados acima, como uma incapacidade de se organizar fora de um ambiente estritamente profissional ou pela sensação de que, como encontra-se "em casa", esteja trabalhando de menos quando na verdade já o faz demais. 

Mais um: Passaram-se nove anos ao longo dos quais Cabral reelegeu-se e emplacou o governador Luiz Fernando Pezão para sucedê-lo.   

Colhido em 30 de março de 2016: Espero que ninguém sinta-se ofendido a menção a porcos. Esse texto homenageia "A Revolução dos Bichos", de George Orwell, onde os porcos são protagonistas.

Exemplo encontrado em 27 de abril de 2016: Em homenagem a Cabral, há uma avenida com o seu nome, onde encontra-se uma estátua em alusão ao descobrimento do Brasil, doada pelo governo brasileiro, em 1941.

Do mesmo artigo do onde encontra-se, acima: cujos restos mortais encontram-se no imponente Mosteiro dos Jerónimos, também na capital portuguesa.  

De um famoso provedor de internet: Basta conferir a sua Fatura Digital que encontra-se anexa.
Uma vírgula aí também não faria mal.

Visto em 18 de abril de 2017 na Isto É: Alexandrino contou que reuniu-se com o filho do ex-presidente e lhe disponibilizou três suportes. Já que é para "caprichar", por que não escreveu também disponibilizou-lhe?

Três pérolas numa única oração

Até então morava no Rio e havia saído há pouco do enlace com um militar, com quem casou-se em outubro para se separar em junho.

Corrigindo: Até então morava no Rio e havia pouco saíra do enlace com um militar, com quem se casou em outubro e de quem se separou em junho.
Ou: Até então morava no Rio e havia pouco se separara de um militar, com quem esteve casada de outubro a junho (do ano seguinte)/apenas oito meses
entre várias outras redações possíveis e melhores

Com quem casou-se (sic) em outubro para se separar em junho parece querer dizer que se casou em outubro com a finalidade de já se separar em junho, oito meses depois. Duvido que alguém tenha a intenção de permanecer tão pouco tempo casado.

E no final da matéria:
Cogita correr a vereadora em São Carlos.

Isto é português? Não conheço ninguém que fale assim. Para mim é tradução literal do inglês (americano) to run for no sentido de candidatar-se a algo, pleitear algum cargo público. Também se corre a presidente, a governador, etc.?

Monday, December 14, 2015

Saturday, December 12, 2015

Vamos combinar

Vamos combinar que a mais elementar lógica manda dizer que quem votou na lista da oposição quer defenestrar Dilma.

Nunca tinha visto homem, ainda mais de idade, expressar-se assim. Até então só ouvia vamos combinar da boca de mulheres jovens, mas vamos combinar que eu não sei nada porque já faz seis anos que estou fora do Brasil.

Thursday, December 10, 2015

Tuesday, December 8, 2015

Em quaisquer produtos

Questionada sobre o uso de formol em outros tipos de produto, que não carne bovina in natura, a empresa afirmou não utilizar conservante em quaisquer produtos.

Que frase arrevesada é esta? Será que o autor da pérola acha que português é como inglês (padrão), que não admite dupla negação? Não seria muito mais simples e bonito ... conservante em nenhum produto?

Friday, November 27, 2015

Sem coito

http://www1.folha.uol.com.br/educacao/2015/11/1710710-inspirado-no-chile-manual-orientou-ocupacao-de-escolas-por-alunos-em-sp.shtml

Entre as regras publicadas na escola, numa das fotos disponibilizadas na matéria, depois de se proibir terminantemente o uso de álcool, drogas e outras substâncias, a segunda regra que se lê é sem coito, que me chamou a atenção por dois motivos: não me parece uma forma muito natural de expressar o que se deseja e duvido que todas as crianças e jovens conheçam o ato por esse nome.

Tuesday, November 24, 2015

A saudades

e a saudades (que você tentava espantar) só aumentou.

Saudades ou saudade, ciúmes ou ciúme, mas nunca tinha visto saudades como substantivo singular, como se o S fosse parte integrante da palavra, como em o pires ou o ônibus

O mesmo texto mostra como ainda se compreendeu ou se aplica mal o Acordo Ortográfico de 1990. Quando li

Num mundo ultra-erotizado, isso parece uma tragédia, mas não é. 

pensei que o autor tinha optado pela grafia "antiga", ainda válida no Brasil até 31 de dezembro deste ano, mas logo a seguir lê-se

Quanto autoengano.

escrito segundo as regras novas. Ou ultra-erotizado e auto-engano, segundo as regras ortográficas de 1943, seguidas apenas pelo Brasil, ou ultraerotizado e autoengano, segundo o acordo de 1990.

Saturday, November 21, 2015

Declension of Vánoce

It is funny how Vánoce, a plurale tantum meaning Christmas in Czech, has Vánocům in the dative, not *Vánocím, as you would expect if you were to compare it with the word noc, night, from which it is derived. Slovak is again more regular in this regard: noc - dative plural: nociam, Vianoce - dative plural: Vianociam.

Wednesday, November 18, 2015

Nos faz feliz

A emoção não tem idade. Conformar-se com uma realidade que não nos faz feliz, isso sim é viver em estado de coma.

Interessante essa falta de concordância no adjetivo, quase como se feliz, por terminar em z, pronunciado s (ou x, dependendo da região), já marcasse o plural de um possível adjetivo feli.

Saturday, November 14, 2015

Slovakismy moderátorky Super Star

Zajímavé, jak česká moderátorka pořadu Super Star ve své řeci spontánně používá slovakismy: nedávno jsem slyšel, jak říká zrazu (najednou) a devčenské (dívčí). Asi ji ovlivňuje všudypřítomná slovenština v pořadu.

Farmaceutička

V tohtoročnej Super Star začali používať farmaceutička namiesto ustáleného slova farmaceutka. Som zvedavý, ako to vzniklo. Na internete nenarážam na ten tvar.

Sunday, November 8, 2015

V čistých "botách"

Oznamuji všem tenisovým halám: bota je slovo ženského rodu, takže musíme vstoupit do nějaké místnosti v čistých botách, ne v čistých botech.

Thursday, November 5, 2015

Nomen omen

In a weekly magazine article about FuckUp Nights.

"Totálně nám došly peníze -  neměli jsme na nájem, neměli jsme na mzdy", pronese s kamennou tváří muž... "A to zdaleka nebylo to nejhorší." Následující minuty věnuje Jakub Nešetřil popisu nejkrizovějšího momentu svého dosavadního pracovního života.

Translation:
"We were completely out of money - we couldn't afford rent, we couldn't afford to pay wages", he states with an expressionless face... "And that was not the worst." Jakub Nešetřil spends the following minutes describing the most critical moment of his work life so far.

The funny thing is what the guy's last name means: didn't save up. Nomen omen?

Other funny Czech names with a meaning: Přinesdomů (bring home), Škočdopole (jump into the field), Nespal (didn't sleep), Nezval (didn't invite), Brzobohatý (soon rich), Zabloudil (got lost), Nejedlý (inedible). I have even come up with a novel surname: Nesral (didn't shit).

Tuesday, November 3, 2015

Neexistuje, aby

That is an expression in Czech that amuses me. Even though existovat, as it probably shows, means to exist, neexistuje, aby means that something never happens, is not true, as in: Neexistuje, aby přišel pozdě - literally: It doesn't exist that he is late, that is, It is out of the question that he will be late/He is never late/He is not prone to being late.

Friday, October 16, 2015

Tuesday, October 13, 2015

Jabuticaba

A jabuticaba –fruta nativa da Mata Atlântica e que só nasce no território brasileiro– acabou por tornar-se injustamente sinônimo de algo ruim, o que é injusto. A fruta não só é saborosa, como faz muito bem à saúde. O fato de algo existir somente no Brasil não pode ser considerado negativo. 

Não é a primeira vez que ouço essa história, mas parece que não é bem assim:

Es una planta nativa de la Mata Atlántica, en Brasil, pero se encuentra también en Paraguay donde se lo conoce por el nombre guaraní de Yva Puru o Yva Hu. Yvapurũ: yva fruta, purũ palabra onomatopéyica que reproduce el sonido de la fruta al morderla: pururũ. También hay ejemplares nativos en la provincia argentina de Corrientes y Misiones, en Bolivia, donde su distribución natural corresponde al departamento de Santa Cruz, en áreas secas o subhúmedas abajo de los 1.700 m de altitud. Dentro de Bolivia, fue reportado científicamente en las provincias Andrés Ibáñez, Obispo Santiestevan (provincia), Florida, Chiquitos y Cordillera, también se ha encontrado en Honduras y Costa Rica aunque es poco comun.

Acho que não precisa de tradução, mas em todo caso:

É um planta nativa da Mata Atlântica, no Brasil, mas encontra-se também no Paraguai, onde é conhecida pelo nome guarani de Yva Puru ou Yva Hu. Yvapurũ: yva fruta, purũ palavra onomatopeica que reproduz o som da fruta ao ser mordida: pururũ.Também há exemplares nativos na província argentina de Corrientes e Misiones, na Bolívia, onde a sua distribuição natural se dá no departamento de Santa Cruz, em áreas secas ou subúmidas abaixo de 1 700 m de altitude. Na Bolívia foi relatada cientificamente nas províncias Andrés Ibáñez, Obispo Santiestevan (interior), Florida, Chiquitos e Cordillera. Também foi encontrada em Honduras e Costa Rica, apesar de ser pouco comum.

Sunday, October 11, 2015

Ombrelone

Acabei de descobrir a palavra ombrelone em português, que não encontro no Houaiss 2009:

Na noite anterior reunira apenas um punhado de partidários em uma mesa sob um ombrelone na área externa de um restaurante para fumar um charuto e bebericar doses de licor.

É certamente de origem italiana, do italiano ombrellone, de ombrello (sombrinha, de ombra, sombra, ambos do latim umbra, também presente no umbrella inglês, guarda-chuva) + one (sufixo aumentativo). Mas qual a diferença entre o tal ombrelone e um corriqueiro guarda-sol? Será o formato? Esta imagem mais esta sugerem que sim, mas não tenho certeza. Ficaria agradecido se alguém me explicasse.  

Monday, October 5, 2015

コミュニティー・カレッジ (community college)

It is interesting how Japanese is becoming more and more Americanized. コミュニティー・カレッジ is not only an Anglicism, but also mimics the American pronunciation of the word community college. Transliterated: komyunitii karejji, with a カ (ka) in the second word, not a コ (ko).

Friday, October 2, 2015

Capitães e compassos

Aposto que os meus leitores, assim como eu, não sabiam da importância que têm os compassos para os capitães, mormente na orientação marítima.

Eu paguei US$ 2.500 para atravessar do Egito até a Sicília. Ficamos 17 dias no barco porque o capitão perdeu o compasso e não sabíamos para onde ir.

Para quem não matou a charada: trata-se nada mais nada menos de um erro de tradução. Compass é inglês neste caso não é compasso, é BÚSSOLA!

Saturday, July 11, 2015

Bahrein e bareinita

Neste artigo da Época aparecem as formas Bahrein e bareinita, nada uniformes. O dicionário Houaiss 2009 registra bareinita e define-o como alguém natural de Barein, sem h. Mas essa grafa é de fato portuguesa, terminada com n? Só me ocorrem poucas palavras paroxítonas em português com n no final: pólen, hífen, abdômen (ou abdome), próton, nêutron, elétron (os portugueses preferem protão, neutrão e eletrão (depois do Acordo Ortográfico)/electrão(antes do AO). Rigorosamente, a grafia apresentada do país leva-nos a ler Barein com acento no i, não? Mas pelo que me consta, a pronúncia corrente é Barém. Interessante que o mesmo dicionário dá como variantes de bareinista baremês e baremense, o que, na minha opinião, legitimaria a forma plenamente aportuguesada Barém. Vejo que já escreveram algo semelhante na Wikipédia: Em português, a grafia mais tradicional para o nome do país , encontrada já em Os Lusíadas de Luís de Camões19 . Em português, a grafia mais tradicional para o nome do país é Barém10 11 12 13 14 15 16 , encontrada já em Os Lusíadas de Luís de Camões19 . No Brasil, é atualmente mais difundida a forma homófona Barein17 2 11 15 (homófona à forma tradicional portuguesa, porém calcada nas transliterações francesa - Bahrain ou Bahrayn - ou inglesa - Bahreyn ou Bahrein - do topônimo).

Tenho um reparo quanto ao que se diz, que no Brasil é mais difundida a forma Barein. Não foi esse o o resultado duma pesquisa no site da Folha. Nele se vê que Bahrein, com h, aparece 1953 vezes, já Barein, sem h, 271 vezes e Barém, nenhuma vez. Neste jornal português, Bahrein aparece 931 vezes, Barein 3 vezes e Barém 7 vezes.

Tuesday, July 7, 2015

São nos braços que estão sua marca

Tenho encontrado vários erros na BBC Brasil. Esta matéria é assinada por alguém de nome inglês. É possível que a formulação tenha saído das teclas do tradutor, então.

E são nos braços que estão sua marca: as tatuagens. Imagens coloridas, cheias de detalhes.

E é nos braços que está sua marca... Braços não é sujeito, é advérbio de lugar aí, o verbo não concorda com ele. O sujeito é marca, portanto não estão, está. Quem sabe alguém da BBC Brasil vê estes meus mal traçados comentários e pressiona o tradutor, revisor ou redator para tomar mais cuidado. Sei que com a correria típica da internet, não se pode esperar muito, mas na minha opinião tal profusão de erros é inaceitável, ainda mais de uma instituição séria como é a BBC. Na versão em inglês (admito, não a leio muito), raramente acontece o mesmo.

Saturday, July 4, 2015

Gênero de dracma

Hoje, num artigo da BBC Brasil, vi a palavra com o gênero masculino, que muito me surpreendeu. Eu a usaria no feminino, mas como não tinha certeza, resolvi verificar, e o dicionário Houaiss deu-me razão:


n substantivo feminino
1    Rubrica: metrologia.
antiga medida de peso para metais e peças preciosas
2    Rubrica: metrologia.
a oitava parte da onça ('peso antigo') equivalente a 28,691 g
3    Rubrica: metrologia.
qualquer de várias unidades de peso da Grécia antiga, esp. a equivalente a 0,00325 kg
4    Rubrica: metrologia.
qualquer de diversas unidades modernas de peso, adotadas em diferentes países, e equivalente a 3,88879346 g
5    Rubrica: numismática.
moeda de prata da Grécia antiga, no valor de seis óbolos
6    Rubrica: economia.
meio através do qual eram efetuadas transações monetárias na Grécia (substituído pelo euro, ver)
6.1    Derivação: por extensão de sentido.
a cédula e a moeda (divisíveis em cem unidades menores, denominadas leptae) us. nessas transações

Não sei se é feminina ou masculina na boca dos brasileiros e na mídia do nosso país varonil, já que há seis anos estou ausente dele e durante os 28 anos que nele vivi nunca tive muitas oportunidades de falar com ninguém sobre a moeda grega, mas uma rápida pesquisa na Folha de São Paulo revela que o uso do gênero masculino não é nada pontual. De 56 resultados, contei 28 ocorrências no gênero masculino, ou seja, a metade! É possível que muitos lhe atribuam o gênero masculino por analogia com palavras em -ma como problema, esquema, estratatagema, teorema, lexema, etc., todas masculinas e todas de origem grega, mas estas palavras, neutras na língua de origem, seguem a declinação -a, atos, já dracma é substantivo feminino da declinação -e, -es. Em Portugal, que está muito mais perto da Grécia que o Brasil, a tendência no uso do masculino é ainda maior, consoante o que se lê, pelo menos, na primeira página deste jornal, onde a moeda aparece 113 vezes.

Em italiano tanto o uso quanto a norma apontam para a mesma direção: é substantivo feminino, sem discussão. Talvez os italianos, pela maior proximidade geográfica e por viagens frequentes ao país, estejam mais acostumados à moeda e por isso não titubeiam.

Já em espanhol tal incerteza parece ter-se institucionalizado de tal forma que o dicionário da RAE lhe dá gênero ambíguo, ou seja, o verbete pode ser tanto masculino quanto feminino. No entanto, atentando ao uso, parece que se prefere a forma masculina, a julgar pelos resultados deste jornal espanhol e deste argentino.

O tcheco, que é tão cioso das palavras de origem grega e as declina de forma semelhante à original (ver, por exemplo, a declinação de dilema), diz sempre ta drachma (feminino), plural ty drachmy, nunca to drachma, que seria neutro e cujo plural seria ta drachmata.


Tuesday, June 30, 2015

Šalina Pub

In Brno there is a tram/streetcar that people can ride on while enjoying some beer. It is called Šalina Pub. Šalina is hantec for Czech tramvaj. I don't know if they were aiming for an anglicized word order, in which case Pub Šalina would make more sense, as it is a tram that functions as a pub, pub being a noun adjunct. Šalina pub would be more in accordance with Czech morphology, maybe even better in the guise of Šalinopub or Šalinohospoda, with the common O interfix, as in chorobopis (medical history, from choroba, illness, plus pis, writing) and jazykověda (linguistics, from jazyk, language, plus věda, science). Anyway, I am certain nobody who doesn't speak Czech would understand it as šalina is unknown to non-Czech speakers. The name must have been a joke, after all.

Sunday, March 8, 2015

Gauchês

Recebi por email a história que transcrevo abaixo da forma como a recebi. Marquei com negrito as palavras que chamaram a atenção deste paulista que vos escreve. Embaixo do texto encontrarão uma explicação dos termos próprios do Rio Grande do Sul.

Remorso do gaúcho !..

    
Em Uruguaiana a gente fala a verdade sempre ...
Um gaúcho entra na delegacia de polícia em Uruguaiana e dirige-se ao delegado:
-Vim me entregar, cometi um crime e desde então não consigo viver em paz.

- Tchê, disse o delegado, as leis aqui são muito brabas e são cumpridas e se tu és mesmo culpado não terá apelação nem dor de consciência que te livre da cadeia, mas fala...
- Atropelei um petista na estrada BR-472, perto de Itaqui.
- Ora xirú, como tu podes te culpar se esses petistas atravessam as ruas e as estradas a todo tempo ?!?
- Mas o vivente estava no acostamento.
- Se estava no acostamento é porque queria atravessar; se não fosse tu, seria outro qualquer.
- Mas não tive nem a hombridade de avisar a família daquele qüera, sou um porqueira !!!
- Bueno, se tu tivesse avisado haveria manifestação, repúdio popular, passeata, repressão, pancadaria e morreria muito mais gente. Acho o senhor um pacifista, merece uma estátua.
- Mas senhor delegado, eu enterrei o coitado ali mesmo, na beira da estrada.
- Tá provado, tu és um grande humanista,... enterrar um petista,... és um benfeitor. Outro qualquer o abandonaria ali mesmo para ser comido por urubus e outros animais, provavelmente até hienas.
- Mas enquanto eu o enterrava, ele gritava: Estou vivo, estou vivo, estou vivo !!!

- Garanto que era mentira dele!

Xirú (sic) (não deveria ter acento) não encontrei dicionarizado, mas encontrei nesta página onde lhe atribuem o significado de amigo. No entanto, achei chiru no Hoauiss 2009, definido assim: que ou quem é caboclo ou índio; ou aquele que tem pele morena, traços acaboclados

Vivente, mais fácil de entender, significa, segundo o mesmo dicionário: Regionalismo: Rio Grande do Sul: indivíduo, pessoa

Quera, cujo tema está com os dias contados, pois o período de transição do novo Acordo Ortográfico termina a 31 de dezembro deste ano, também segundo o Houaiss, é adjetivo e substantivo de dois gêneros e significa muito corajoso; valente, valentão.

Bueno é claramente um castelhanismo para bom.

Wednesday, March 4, 2015

Gênero de ultrassom

Acabei de descobrir que há quem diga a ultrassom, no gênero feminino. Há quase uma centena de casos na internet. Será que é por causa de a ultrassonografia? Os dicionários só registram o gênero masculino para ultrassom.

Sunday, January 25, 2015

Desonerar como estragar-se

Descobri no dicionário Houaiss 2009 esta acepção interessante de desonerar:

n verbo
Regionalismo: Nordeste do Brasil. Uso: informal.
 intransitivo
perder ou alterar-se a consistência de (algo), tornando-se imprestável ao uso; estragar-se, degenerar-se
Ex.: o leite desonerou, é melhor não tomá-lo

Algum leitor, sobretudo do Nordeste, poderia confirmar se tem experiência com o verbo usado neste sentido?

Thursday, January 8, 2015

English loanwords in Czech

Decades ago not many Czechs knew how English words were pronounced and that explains why some words were adopted and adapted according to their spelling in English, not to their pronunciation. An example is cowboy, which became kovboj in English, which sounds nothing like English cowboy. The same with tramway, which became tramvaj. But decades later things are a bit different. Runway entered the language as ranvej, which is much closer to how the English original. Funny how two words ending in way, tramway and runway, met different fates in the same language.