Word of the Day

Thursday, December 31, 2015

Háže

Takže kvůli svým geopolitických (sic) cílům Amerika háže blízkovýchodní křesťany z okna?

So, because of its geopolitical aims America throws Middle East Christians out the window?

The funny thing is the word háže, which is dialectal. Standard Czech requires hází. Háže has no place, in my opinion, in a serious publication like the weekly magazine Echo.

Tuesday, December 29, 2015

Advocacy in Romanian

I saw a Romanian program where they used the word advocacy all the time. What's up with that? What is wrong with promovare, pledoarie, avocatură, sprijinere or propaganda? And they pronounced it adVOkasi.

It seems to be used a lot in Romanian: https://www.google.ro/?gws_rd=ssl#q=advocacy




Saturday, December 26, 2015

Dar spoiler

Num dado momento do filme (não vou dar spoiler), o xerife, um tal de Mallick, diz para o Jon (Mikkelsen):

Novidade para mim. Não sabia que tinha chegado ao português. Não seria melhor não vou contar o fim/a história, como sempre se disse?

Thursday, December 24, 2015

Adaptações "folheanas"

Parece que a Folha adapta um pouco os textos de um jornalista português para o português do Brasil. Vejo neste artigo, por exemplo, que aparece câmera em vez de câmara. Indo na contramão, parece que se esqueceram de adaptar subtil para sutil, talvez por subtil ter entrada em dicionários brasileiros (mas não gozar de muito uso no Brasil, demostrado por umas cinco ocorrências brasileiras entre 275, no total, do Córpus do Português) e de usar um sinônimo para possidente, palavra que não encontrei em nenhum dicionário brasileiro, só neste e neste, ambos portugueses. Esta é outra fonte portuguesa onde se usa o termo possidente. Brasileira até agora não achei.

Notei que a Amazon faz a mesma coisa com autores não americanos que escrevem em inglês. Adaptam-lhes a ortografia e um termo ou outro para o inglês americano. Será que não querem permitir que o leitor pense um pouco?

Eles adaptam mesmo. Neste texto, em vez de aparecer melómeno e registar, como se escreve em Portugal, aparecem os brasileiros melômano e registrar.

Sunday, December 20, 2015

Coalização

Com a coalização que o elegeu (Cambiemos) em minoria na Câmara e no Senado argentino, o novo presidente precisa do apoio de congressistas ligados ao kirchnerismo para aprovar medidas que permitam reorganizar as finanças do país.

Acabei de descobrir coalização e imaginei que se tratava de erro. Até então só conhecia coligação e coalizão. Vejo que o Houaiss 2009 registra a palavra e explica que é o mesmo que coalizão.

Friday, December 18, 2015

Líder de healthcare

Outro participante do debate, Marcos Boscolo, líder de healthcare da consultoria KPMG no Brasil, fez menção à crise econômica em sua fala.

Duvido que a maioria dos brasileiros saiba o que é o?/a? tal healthcare? Nem tem obrigação nenhuma de saber. A língua do país, que eu saiba, ainda é o (mau) português.

Wednesday, December 16, 2015

Oba-oba da ênclise

Leão Tolstói abre seu "Anna Kariênina" afirmando que todas as famílias felizes parecem-se entre si; já as infelizes o são cada uma à sua maneira.

Os brasileiros devem achar, por a ênclise não ser muito usada na fala espontânea no Brasil, que basta usá-la para o texto ficar mais formal. Não é bem assim, há regras para isso, não é usar a torto e a direito. Na frase acima o correto seria afirmando que todas as famílias felizes se parecem entre si, já que que, aí conjunção integrante, é fator de próclise.

Pelo menos o trecho mostra como essa questão de colocação pronominal há décadas (séculos?) não faz parte da gramática interna que todo falante nativo traz consigo. Pois bem, mas então não é melhor seguir o próprio instinto e usar a próclise, que seria a escolha espontânea do brasileiro e o correto no fragmento acima? Por que querer complicar tanto quando se escreve? Insegurança? Hipercorreção?

Esta discussão lembra-me (ênclise bem usada) a fatídica frase encontrada em vários elevadores no Brasil: "Antes de entrar no elevador, verifique se o mesmo encontra-se parado no andar". Outros já implicaram com ela antes de mim: https://www.google.com/search?q=verifique+se+o+mesmo+encontra-se&ie=utf-8&oe=utf-8

Outro exemplo recolhido dias depois: A resposta é tanto mais difícil e desalentadora, pois o Brasil é hoje país em que impera a "micropolítica" do conchavo e da autopreservação –e onde acumula-se imenso déficit da "macropolítica" dos grandes interesses nacionais.

Mais outro: apenas publica-se o tempo todo imagens e mensagens   

Mais outro: Mal fecham-se as portas e já estou atônito.

Talvez o pior de todos: A “irjaa” não tornou-se um conceito corrente no islã, e foi derrotada pela ideia de que a fé tem de ser obrigatoriamente declarada.  

E dois exemplos no mesmo parágrafo: Também a Europa encontra-se longe de um cenário harmonioso. Se a crise econômica parou de piorar, os desafios vêm de uma eventual saída do Reino Unido da dinâmica de integração continental (o que a imprensa em língua inglesa chama de "Brexit"), do atordoante fluxo migratório e do tipo de liderança que a Alemanha está disposta a exercer na União (dilema que os próprios alemães esquivam-se de responder).

Encontrei mais este: Mas por que os coxinhas agora tornaram-se tão notórios? e mais este: porque a estrutura de classes sociais tornou-se mais complexa e diferenciada. Achei este artigo motivado pela intenção de entender o que é coxinha, não a comida, que já conheço faz tempo.  

Mais um: Ainda segundo o advogado, a defesa argumentará que a prisão deu-se por "meio enganoso de prova".

Um de 6 de fevereiro de 2016: Talvez até por motivos diversos dos elencados acima, como uma incapacidade de se organizar fora de um ambiente estritamente profissional ou pela sensação de que, como encontra-se "em casa", esteja trabalhando de menos quando na verdade já o faz demais. 

Mais um: Passaram-se nove anos ao longo dos quais Cabral reelegeu-se e emplacou o governador Luiz Fernando Pezão para sucedê-lo.   

Colhido em 30 de março de 2016: Espero que ninguém sinta-se ofendido a menção a porcos. Esse texto homenageia "A Revolução dos Bichos", de George Orwell, onde os porcos são protagonistas.

Exemplo encontrado em 27 de abril de 2016: Em homenagem a Cabral, há uma avenida com o seu nome, onde encontra-se uma estátua em alusão ao descobrimento do Brasil, doada pelo governo brasileiro, em 1941.

Do mesmo artigo do onde encontra-se, acima: cujos restos mortais encontram-se no imponente Mosteiro dos Jerónimos, também na capital portuguesa.  

De um famoso provedor de internet: Basta conferir a sua Fatura Digital que encontra-se anexa.
Uma vírgula aí também não faria mal.

Visto em 18 de abril de 2017 na Isto É: Alexandrino contou que reuniu-se com o filho do ex-presidente e lhe disponibilizou três suportes. Já que é para "caprichar", por que não escreveu também disponibilizou-lhe?

Três pérolas numa única oração

Até então morava no Rio e havia saído há pouco do enlace com um militar, com quem casou-se em outubro para se separar em junho.

Corrigindo: Até então morava no Rio e havia pouco saíra do enlace com um militar, com quem se casou em outubro e de quem se separou em junho.
Ou: Até então morava no Rio e havia pouco se separara de um militar, com quem esteve casada de outubro a junho (do ano seguinte)/apenas oito meses
entre várias outras redações possíveis e melhores

Com quem casou-se (sic) em outubro para se separar em junho parece querer dizer que se casou em outubro com a finalidade de já se separar em junho, oito meses depois. Duvido que alguém tenha a intenção de permanecer tão pouco tempo casado.

E no final da matéria:
Cogita correr a vereadora em São Carlos.

Isto é português? Não conheço ninguém que fale assim. Para mim é tradução literal do inglês (americano) to run for no sentido de candidatar-se a algo, pleitear algum cargo público. Também se corre a presidente, a governador, etc.?

Monday, December 14, 2015

Saturday, December 12, 2015

Vamos combinar

Vamos combinar que a mais elementar lógica manda dizer que quem votou na lista da oposição quer defenestrar Dilma.

Nunca tinha visto homem, ainda mais de idade, expressar-se assim. Até então só ouvia vamos combinar da boca de mulheres jovens, mas vamos combinar que eu não sei nada porque já faz seis anos que estou fora do Brasil.

Thursday, December 10, 2015

Tuesday, December 8, 2015

Em quaisquer produtos

Questionada sobre o uso de formol em outros tipos de produto, que não carne bovina in natura, a empresa afirmou não utilizar conservante em quaisquer produtos.

Que frase arrevesada é esta? Será que o autor da pérola acha que português é como inglês (padrão), que não admite dupla negação? Não seria muito mais simples e bonito ... conservante em nenhum produto?