Word of the Day

Monday, April 17, 2017

Isto É e o AO

No início achei que era pura coincidência, mas agora parece ser por convicção mesmo: a Isto É não segue o Acordo Ortográfico, não sei se por ignorância ou desobediência civil. Na última edição encontram-se as grafias auto-estima, que mudou para autoestima, e vêem, que mudou para veem, conseqüência, que perdeu o trema, e microondas, que ganhou um hífen.

Mas agora acabei de ver a escrita veem em outra matéria e Coreia do Norte, em outra. Não sei qual é a deles. Talvez cada jornalista escreva como lhe apraz.

Mas a revista também traz pérolas como salvo conduto (corretamente, com hífen) e distinguí-los (corretamente, sem acento), que não pertencem a convenção ortográfica nenhuma.

3 comments:

Jonathan said...

AO pra mim é Australian Open.

Pelo visto falta uma revisão uniforme. Já entrou em contato com eles?

světluška said...

Mando alguma observação a todas as publicações brasileiras que leio, mas nenhuma me responde.

Vasconcelos said...

Não seria "achei que fosse pura coincidência"? Como em "Achei que fosse pura coincidência, mas percebi depois que não o era"? O uso adequado, preciso do subjuntivo parece-me das coisas mais raras de ver em português, e todos os textos que já li a respeito se limitam às mesmas platitudes sobre modo da irrealidade, da suposição etc., daí que sigo a intuição quase sempre.

Eu diria "Eu acho que é pura coincidência", porque, hoje, tenho quase absoluta certeza de que é mesmo pura coincidência, de modo que a dúvida é mesmo para desconsiderar, mas nunca diria "Achei que era pura coincidência", porque só se diz que se achava que algo fosse assim ou assado quando se descobre mais tarde que não era nem assim nem assado.

À falta de obras de referência que tratem do assunto como se esperaria que tratassem, fico-me pela minha intuição de falante e leitor mesmo.